Aprender por partitura ou pelo ouvido?

Muitas vezes ouvimos comentários do tipo: "fulano aprendeu a tocar por partitura", "é melhor aprender por partitura" ou "Cicrano toca muito e não precisa saber ler partitura". 

Muitos que querem aprender a tocar um instrumento, ficam na dúvida se devem aprender por partitura ou sem. Vou tentar esclarecer aqui alguns pontos e falar sobre minha experiencia como aprendiz e educador musical sobre este assunto.

O que é a partitura e para que serve?
A partitura é uma forma de notação musical. A notação musical significa colocar em simbolos aquilo que é tocado no instrumento. Da mesma forma que as letras representam graficamente os sons que vão formar as palavras da nossa língua, aqueles símbolos famosos e estranhos da partitura que conhecemos representam as notas musicais e a relação de tempo delas.

 

 


A partitura é uma forma de registrar uma idéia musical para que não se esqueça e para que uma pessoa possa passar a informação musical para outras pessoas, que assim vão poder tocar a música igualzinha, sem ser preciso conhecê-la antes.

Então vamos dizer que eu sou cantor, inventei uma melodia e pra não esquecê-la, eu resolvi escrever na partitura. Aí eu pego essa partitura da melodia escrita e dou pra um pianista criar a música (um arranjo para piano daquela melodia) para me acompanhar tocando no meu próximo show.

A partitura também serve para a composição musical, pois ela ajuda o compositor e arranjador a organizar e trabalhar as idéias musicais. Seria impossível compor uma sinfonia e fazer uma orquestra tocá-la sem a escrita musical. Ajuda também os intérpretes musicais a estudarem e tocarem as peças. Ela amplia a visão e o controle do músico sobre a música.

Saber ler partitura é um grande passo no desenvolvimento musical, visto que a pessoa passa a ser "alfabetizado" na música.

 

Agora vamos voltar a falar da partitura no aprendizado do violão. Existe o método mais tradicional de ensinar violão, método que ensina o violão erudito, no qual utiliza a partitura para ensinar as peças para os iniciantes no violão. Neste método, o aluno vai aprendendo a tocar lendo o que está escrito na partitura, ele aprende a ler e a tocar ao mesmo tempo. Como o violão erudito possui maior complexidade no arranjo musical do que uma simples batida em acordes no violão, é indispensável o uso da partitura para conseguir executar as peças eruditas. Portanto, é muito mais dificil ensinar e tocar essas músicas sem o uso da partitura.

Já os professores que ensinam violão popular, geralmente começam a ensinar sem o uso da partitura, usando outras formas mais simples e menos completas de notação musical, como as cifras, tablaturas, códigos e outras notações alternativas. 

Uma vantagem da partitura é que ela consegue registrar o ritmo das notas, a relação da nota com o tempo. Por exemplo, com uma partitura um músico consegue tocar uma música exatamente como é, sem nunca ter ouvido, enquanto em uma tablatura ou cifra ele vai precisar conhecer a música, ouvi-la antes, porque estas notações não registram o ritmo.

O que eu acho disso tudo?

Bom. Eu acredito que o ensino de música deve ser feito primeiro através da manipulação do som através da imitação, usando códigos mais simples do que fazer o aluno ler um código mais difícil, que envolve o ritmo.

Eu sempre digo que ninguém aprende a falar e ler ao mesmo tempo, então é melhor aprender a tocar coisas bem simples,  pra depois aprender a ler partitura.

Acredito que é melhor aprender a tocar uma melodia já conhecida, por exemplo, usando um código fácil, tentando acertar através do ouvido, da imitação, sem uma partitura intermediando este processo, pegando o ritmo da melodia no ouvido. Friso que este método se limita ao início do aprendizado.

Acho que a partitura deve ser ensinada após o aluno conseguir dominar a parte mecânica básica do instrumento que seria colocar acordes, dedilhar e tocar melodias. Depois disso, aí ele deve aprender a tocar músicas de arranjos mais complexos com duas ou mais vozes.

Uma coisa que acontece é que a dificuldade de aprender a ler partitura tira a empolgação do iniciante, pois ele já tem uma tarefa dificílima, que é conseguir fazer seus dedos funcionarem no instrumento, conseguir ter coordenação motora e mecânica suficiente para fazer alguma coisa que o te motive a continuar, e se você coloca uma partitura junto disso, a dificuldade de lidar com tantas coisas juntas faz a evasão dos novos alunos ser muito maior, por isso opto por não utilizar no início.

É dessa forma que vejo essa questão, e foi, na maior parte dos casos, o que aconteceu com a maioria dos alunos e violonistas que já tive contato e comigo também. Eles aprenderam a tocar sem a partitura para depois começarem a estudar partitura.

Também há casos de alunos que aprendem do zero direto na partitura, e estes casos geralmente acontecem com quem aprende a tocar violão em conservatórios tradicionais de música.

Algumas pessoas errôneamente colocam como se a partitura fosse um recurso para quem não tem talento musical, como se quem tem talento aprendesse de ouvido e só precisasse disso. A partitura é só um meio de registro musical, quem tem talento e/ou determinação aprende das duas formas, e se esta pessoa aprender a ler partitura, isso significa que possuirá uma ferramenta para desenvolver o seu talento, o que abrirá um novo "mundo" e percepção musical.

 

 

 

 

 

 

Alexandre Bloisi

Professor de violão

Please reload

Redes Sociais

  • Wix Facebook page
  • YouTube Social  Icon